Escolas de Engenharia

São Judas entrega Projeto Modelo para Quilombo do litoral norte de São Paulo

Publicado em 16 de maio de 2013


Há cinco anos, a Universidade São Judas Tadeu desenvolve o planejamento de ações integradas com o propósito de contribuir para o desenvolvimento econômico e social do Quilombo da Fazenda Picinguaba. Pioneiro e modular, o projeto poderá ser aplicado em demais quilombos do País

A Universidade São Judas Tadeu acaba de entregar um projeto modelo e pioneiro para o Quilombo da Fazenda Picinguaba, localizado no litoral norte de São Paulo. Na ocasião, diversas autoridades, dentre elas, representantes do Ministério de Minas e Energia-Programa Luz para Todos, Prefeitura Municipal de Ubatuba, Diretoria do Parque Estadual Serra do Mar e a presidente da Associação Quilombola, estiveram presentes na Instituição para a assinatura do protocolo de entrega do plano do maior Projeto de Inclusão Social e Promoção da Cidadania, de caráter Multidisciplinar realizado pela São Judas.

O Projeto Quilombo da Fazenda Picinguaba irá viabilizar a subsistência da comunidade quilombola, proporcionando desenvolvimento social e econômico para que a mesma se torne autossustentável, respeitando os aspectos culturais, sociais e ecológicos da região, sem afetar o meio ambiente. Mais informações através do portal www.usjt.br .

Desde 2008, a Universidade São Judas Tadeu desenvolve o Projeto Quilombo da Fazenda Picinguaba, com colaboração do Itesp, Incra, Parque Estadual Serra do Mar, Prefeitura e Câmara Municipal de Ubatuba, com o intuito de resgatar a cultura e tradições dos quilombolas - descendentes de escravos localizados próximo ao ecossistema de Ubatuba.

Para acelerar o desenvolvimento dessa comunidade, sem que, contudo, se percam as raízes quilombolas, serão realizadas inúmeras ações, como a instalação de um Centro Comunitário de Produção que funcionará com a mão de obra local, e de um restaurante no quilombo. Há também uma loja que será abastecida pelo centro comunitário com produtos típicos da região, além de projetos educativos, culturais e de ecoturismo, com a criação de trilhas turísticas. Atualmente, a renda das 51 famílias provém da polpa da juçara – um tipo de palmito - e da mandioca, cuja farinha é produzida no próprio quilombo. A banana, por exemplo, será aproveitada para doces, licores e refeições. Bolsas e acessórios poderão ser produzidos com as folhas da bananeira.

A parceria com a Universidade São Judas Tadeu iniciou-se quando professores de Engenharia Elétrica foram convidados a desenvolver cursos de instalação elétrica para os quilombolas. Depois, o projeto recebeu a adesão do Curso de Turismo e do Laboratório Empresa. A seguir, a Pró- Reitoria de Extensão Universitária resolveu ampliar o projeto integrando um programa de inclusão social, de geração de emprego e de renda, de forma multidisciplinar - com a participação das áreas de Administração de Empresas, Economia, Contabilidade, Comunicação Social, Nutrição, Engenharia, Biológicas e Farmácia.


Retrospectiva:

Em 2007, a Eletrobrás Furnas- Ministério de Minas e Energia, por meio do Programa Luz para Todos, levou energia elétrica para regiões extremas do litoral norte de São Paulo, onde 29 famílias da comunidade Quilombo da Fazenda Picinguaba, no Parque Estadual Serra do Mar, em Ubatuba, foram beneficiadas. Em visita às casas, verificou-se que os moradores não sabiam realizar as instalações elétricas e também não tinham condições de pagar a um técnico pelo serviço. Assim, surgiu a necessidade da realização de um curso de capacitação em eletricidade básica, com o objetivo de garantir o uso seguro e econômico de energia. Na época, a Universidade São Judas Tadeu já disponibilizava curso semelhante a moradores de rua, como atividade de extensão, e foi procurada por Furnas, que busca parcerias com instituições que possam contribuir com a implantação de projetos.

Histórico:
Quilombo –
era o local de refúgio dos escravos no Brasil, em sua maioria afrodescendentes, havendo entre eles minoria indígenas e brancas.

Quilombolas – era o nome dados aos escravos que fugiam dos engenhos, minas e outros locais de exploração e se abrigavam na mata, constituindo uma espécie de aldeia chamado Quilombo. Também são designados os descendentes dos escravos que viveram nos Quilombos, e que hoje permanecem vivendo em comunidades que ocupam antigos territórios.

Quilombo da Fazenda Picinguaba- A comunidade remanescente do Quilombo da Fazenda Picinguaba, no litoral norte de Ubatuba, São Paulo, está situada dentro da área de preservação ambiental do Parque Estadual da Serra do Mar. As casas construídas pelos quilombolas abrigam mais de 51 famílias.

Parque Estadual da Serra do Mar - é o maior parque estadual paulista, com área de 315.390 há, constituído de oito núcleos, envolvendo 23 municípios. Em Ubatuba, o parque abrange uma área de 47.500ha, denominada Núcleo Picinguaba, protegendo os ecossistemas costeiros e, de certa forma, também as comunidades tradicionais, cujas origens remontam há cerca de 300 anos. O Núcleo foi anexado ao parque, em 1979. A partir desse momento a caça, pesca, corte de árvores e quaisquer danos ao meio ambiente foram proibidos, gerando a necessidade de outras atividades econômicas compatíveis com a conservação da área.


Patrocinados

Comente no Facebook

Conheça a estrutura do Instituto e o que ele pode oferecer para você