Articulistas - Artigos

O projeto de requalificação do Rio Pinheiros

Por José Eduardo Cavalcanti

Publicado em 5 de junho de 2017

Controlar tamanho de fontes:

A requalificação do rio Pinheiros da forma como proposta pelo Governo do Estado de São Paulo objetiva a despoluição das águas do rio Pinheiros de modo a propiciar, em decorrência, condições para a elevação da capacidade de geração da usina Henry Borden em Cubatão.

Na realidade, esta aspiração exigiria não só a recuperação das águas do Pinheiros, mas de resto de grande parte da bacia do Alto Tietê, pois as vazões necessárias para o incremento da geração hidroelétrica em Henry Borden transcende a capacidade hidrológica proporcionada apenas pela sub bacia do Pinheiros, sendo necessário, portanto, contar com águas também requalificadas de toda a bacia do Alto Tietê, as quais já contribuem para a represa Billings,se bem que apenas em situações extremas previstas na legislação.

Para discussão destas questões que se revestem de grande complexidade, o Instituto de Engenharia decidiu promover o simpósio PROJETO DE REQUALIFICAÇÃO DO RIO PINHEIROS, formatado em duas etapas a serem realizadas em duas ocasiões distintas.

No primeiro destes eventos (Módulo 1), serão discutidas as nuances que envolvem a reabilitação do rio Pinheiros segundo uma abordagem mais ampla envolvendo toda a bacia do Alto Tietê.

No segundo módulo seriam abordadas com mais detalhes as concepções propostas, bem como as tecnologias possíveis de reabilitação dessas águas para os fins almejados, e o modelo de parceria entre a iniciativa privada e o Poder Público.
MÓDULO 1: A MAGNITUDE DO PROBLEMA

Os temas a serem abordados neste primeiro módulo, distribuídos ao longo de quatro painéis,e enriquecidos com debates, serão os seguintes:

1º PAINEL – Objetivos do projeto e a participação da iniciativa privada atendendo ao chamamento do Governo do Estado de São Paulo na requalificação do rio Pinheiros.

2º PAINEL – Aspectos ambientais, sanitários e hidrológicos envolvidos na reabilitação da qualidade das águas da bacia do Alto Tietê, visando ao aproveitamento energético.

3º PAINEL – A situação atual e planos futuros da Sabesp referentes ao tratamento de esgotos gerados na bacia do Alto Tietê.

4º PAINEL – Tecnologias avançadas de tratamento de rios poluídos visando auxiliar no incremento da autodepuração do rio Pinheiros e seus afluentes, bem como do rio Tietê e seus afluentes a montante.

Os subsídios coletados neste seminário servirão de base à formatação, com mais propriedade, do próximo encontro (Módulo 2) e,por extensão,de outros, até a plena compreensão do problema.

 

José Eduardo Cavalcanti

Engenheiro Químico, associado ao Instituto de Engenharia Outros artigos de José Eduardo Cavalcanti



Patrocinados

Comente no Facebook

Comente no IE
0 Comentários

obrigatório

obrigatório

 


Conheça a estrutura do Instituto e o que ele pode oferecer para você